A Rede Internacional de Ação Comunitária – Rede Interação é uma OSCIP fundada em Dezembro de 2004 em São Paulo, Brasil. A Rede Interação é a representante brasileira do SDI – Slums Dwellers International, uma rede independente de entidades da sociedade civil e iniciativas populares, com presença em 33 países da África, Ásia e América Latina, que atua para criar cidades inclusivas e inserir a população urbana de baixa renda nas estratégias de desenvolvimento urbano.

Além da atuação ligada ao SDI, a Rede Interação também desenvolve projetos diversos com o poder público, outras ONGs e atores do setor privado, nas áreas de trabalho técnico social, diagnósticos socioeconômicos e mapeamentos comunitários, planejamento urbano e habitação.

Missão

A missão da Rede Interação é apoiar e fomentar iniciativas de integração social e de criação de cidades inclusivas, com foco em ações de organização e mobilização comunitária em favelas, assentamentos precários e empreendimentos de habitação popular, oferecendo suporte técnico a diversas iniciativas populares e dos setores público e privado.

Histórico

A história da Rede Interação, assim como da implementação da metodologia do SDI na América Latina, teve origem em 2005, por um grupo multidisciplinar de profissionais atuantes na área de habitação popular.
A implementação desta metodologia no Brasil foi iniciada na comunidade Portal do Campo em Osasco/SP, no ano de 2005 e, posteriormente, foi replicada em outras cidades paulistas, e também em Pernambuco. Em 2008, a Rede Interação apoiou a expansão da metodologia do SDI na América Latina, com a abertura de grupos de poupança em Oruro e Cochabamba, na Bolívia.
Nesse processo, destaca-se a intensa participação dos grupos de poupança de Osasco e Várzea Paulista na consolidação e formação de novos grupos em comunidades interessadas e municípios parceiros, bem como a atuação direta frente ao poder público em negociações para melhorias da comunidade.
Além das iniciativas de organização e mobilização comunitária, desde 2005, a Rede Interação desenvolveu uma gama de outras ações em parcerias com ONGs e com o poder público e privado, nas áreas de regularização fundiária, mediação de conflitos, avaliação pós-ocupação, trabalho técnico social, e pesquisas/consultorias.