A partir da metodologia do SDI e de outras metodologias participativas de levantamento de informações e gestão financeira/comunitária, a atuação da Rede Interação junto às comunidades residentes em assentamentos precários ou favelas consiste em oferecer suporte técnico para que elas estabeleçam e conquistem metas de desenvolvimento a partir de iniciativas que garantam melhoria das condições de habitação, educação financeira, geração de renda, preservação ambiental e cidadania.

A implementação dessa metodologia teve início em 2005, com a atuação nas comunidades dos Portais, em Osasco, SP, e a posterior expansão para os municípios paulistas de Várzea Paulista, Campo Limpo Paulista, São Paulo, Suzano, Santos, Sorocaba e Taboão da Serra. No ano de 2009, a metodologia foi expandida para o estado de Pernambuco, nas comunidades de Ilha de Deus, Vila Imbiribeira e Vila Tamandaré, em Recife.

A utilização da metodologia do SDI no Brasil tem propiciado a mobilização comunitária, e o resgate da autoestima e do conceito de cidadania, estimulando a capacidade de percepção e ação da comunidade, além de permitir a criação e o fortalecimento de canais de comunicação entre o poder público e a comunidade, fazendo com que as políticas públicas sejam formuladas e operadas de maneira mais efetiva.

Em termos de resultados, a metodologia do SDI atualmente está implantada em 3 cidades brasileiras (Várzea Paulista/SP, Osasco/SP e Recife/PE), mobilizando diretamente cerca de 600 pessoas residentes em 10 favelas e assentamentos precários. Além disso, esses processos de mobilização e organização comunitária resultaram na criação de parcerias entre os grupos de poupança e o poder público local e na implementação de projetos urbanos de melhorias para as comunidades desses grupos, os quais foram financiados e executados pelos atores governamentais. Dentre esses projetos, destacam-se as iniciativas de urbanização de assentamentos precários, que beneficiaram 4.564 famílias de comunidades de Osasco, Várzea Paulista e Recife, e de construção de novas unidades habitacionais para 1.141 famílias das comunidades de Ilha de Deus/Recife, Portais/Osasco e Aliança/Osasco.

Projetos desenvolvidos:

  • SDI: oferecimento de assistência técnica para comunidades residentes em assentamentos informais e favelas através de micro-finanças, pesquisas socioeconômicas e intercâmbios de experiências envolvendo governos e lideranças comunitárias da Ásia, África e América Latina. Atuação em São Paulo e Pernambuco. O desenvolvimento deste trabalho foi reconhecido como Tecnologia Social pela Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social/2011 e em memorando de entendimento junto com o Ministério das Cidades.
  • Prefeitura Municipal de Cubatão/SP: realização de atividades de pesquisa socioeconômica, mobilização comunitária e articulação entre os moradores da área Pedra da Mantiqueira, em Cubatão/SP, e o poder público local para identificação de melhores alternativas habitacionais (2007).